domingo, 16 de agosto de 2015

Quatro Invernos

Contando os agostos, insensível ao frio e buscando paisagens para fotos incompreensíveis.

Em um rosto de rugas aos vento, meus olhos miram montanhas nuas, céu azul e sol forte, sem lágrimas.

Como um rio em estiagem, perdido entre a amargura da terra seca e a solidez da recordação de águas fartas.

Como a margem de um rio permanece, as rugas jamais desaparecem.

A saudade é o alimento da memória.
♪♫ The Staves - Motherlode

Nenhum comentário: