domingo, 8 de dezembro de 2013

Da série “Juju Ensina”: Las Meninas, Velazquez

A maioria das pessoas não estão habituadas à apreciar esculturas, pinturas, quadros em geral. Eu sou assim, por falta de costume, de incentivo, de vontade. Mas às vezes somos acometidos por uma obra de beleza surpreendente e aí, não há como fugir, até o mais chucro observador se entrega ao silencioso auto-questionamento: “será que isso é bonito mesmo?”.

Foi assim quando eu vi Juju parada diante dos três metros de altura do quadro “Las Meninas”, obra-prima do pintor espanhol Diego Velázquez. Eu fiquei ao lado, meio impaciente, mas respeitando a contemplação, olhando a pintura pra decifrar alguma malandragem e fazer uma piadinha. E ela ficou uns dois minutos ali hipnotizada, então acabei esquecendo das gracinhas, achei o quadro interessante, fiz o supracitado auto-questionamento e tentei fazer uma observação inteligente.

Las Meninas no Museu do Prado

“Que legal aquele cara lá atrás”. Esse comentário SIMPRÃO desencadeou uma aula sobre o quadro, como se Juju estivesse louca pra comentar comigo as curiosidades da pintura, mas apenas a admirava, ainda sem saber do meu interesse.

Então, segue abaixo, em tópicos, o quê "Juju Ensina" diante de Las Meninas, de Diego Velazquez:

- aquele cara em pé lá atrás que abre uma porta é um PONTO DE FUGA da pintura e traz luminosidade e, consequentemente, profundidade à cena, além de destacar a menina personagem central da pintura.


- o pintor que aparece no quadro é um auto-retrato de Velazquez.

- Velazquez é um notável retratista (talvez o maior de todos) e trabalhou como principal artista da corte do rei Filipe IV da Espanha (é o rei que aparece no espelho ao fundo).

- há uma estátua de Velazquez na frente da porta principal do Museu do Prado.

- na cena aparece a família do Rei Filipe IV, para conhecer os personagens clique aqui.

- a principal teoria diz que o casal no espelho (Rei Filipe IV e sua esposa Mariana) está entrando na sala, por isso a imagem no espelho é desfocada, como se o casal estivesse em movimento, o quê atrai a atenção de todos na cena. a visão do casal real é muito próxima a do espectador vendo o quadro.

- outra teoria diz que a visão de quem vê o quadro é a mesma do casal real que está posando para Velazquez. e o trabalho do pintor revela-se no espelho lá atrás.


- Velazquez é um pintor barroco e, portanto, historiadores analisam o quadro até hoje procurando mensagens subliminares (há várias teorias mirabolantes clicando aqui).

- Velazquez terminou o quadro em 1656!

- Velazquez resolve com grande habilidade os problemas de composição dos espaços: o ponto de fuga luminoso no fundo, o pequeno espelho, o ambiente virtual (o “ar” da sala) e ainda a luz dourada nas crianças e na anã (sim, há uma anã).


- o cômodo que aparece na pintura é o local de trabalho de Velazquez, dentro do antigo Alcazar de Madrid.

- a história de preservação do quadro é interessante: manteve-se em bom estado após o incêndio que destruiu o Alcazar de Madrid (onde a obra foi produzida), depois manteve-se no Palácio do Oriente (construído no mesmo local do Alcazar) até ser transferido para o Museu do Prado, onde foi restaurado em 1984 e permanece até hoje.



Juju e o Palácio do Oriente construído onde era o Alcazar de Madrid

♫  Jorge Drexler - La Trama Y El Desenlace ♫ 
"Camino por Madrid en tu compañía, / Mi mano en tu cintura, / Copiando a tu mano en la cintura mía (...)