sexta-feira, 7 de dezembro de 2012

A Viagem das Nossas Vidas

(Quando voltarmos da viagem, publico na íntegra o roteiro super detalhado que produzimos e vamos levar para tentar seguir. Além de impressões sobre cada cidade. De repente pode ser útil pra quem for viajar e estiver pesquisando pela internet. Até porque roteiros de outros malucos foram de grande valia pra gente. Então, por enquanto, uma prévia da nosso epopéia!)

KD DIA 20?!?

Em janeiro deste ano decidimos enfrentar uma grande aventura. A idéia é (muito) antiga, mas para transformar desejos em realidade é preciso coragem. E a verdade é que demoramos pra criar coragem, mas pouco antes do carnaval nos demos um ultimato e conversamos seriamente sobre “ir pra europa em dezembro”. Afinal de contas, quanto mais velho, mais dificuldade e menos inconsequência. E daqui a pouco pode aparecer um pimpolho, nunca se sabe, então o fator agora-ou-nunca foi representativo na decisão.

será que vamos ver uns artista famoso?
E aí a história ficou séria de vez e fomos numa agência pesquisar um roteiro financeiramente cabível. Para isso, teríamos que seguir algumas premissas básicas: fazer valer a longa viagem (ou seja, passear por no mínimo 15 dias) e conhecer pelo menos Paris e parte da Itália.

Chegamos na agência de turismo e o cenário pareceu positivo, porquê a antecedência absurda que planejamos possibilitou um parcelamento em várias vezes. E o manual-do-turista-consciente diz, a gente sempre soube, é fundamental sair de viagem com passagens e hospedagem já quitadas.

Eis que partimos, portanto, para a definição do roteiro. É aí que mora o perigo, muito fácil cair em tentação. A vontade é conhecer tudo e viajar três meses inteiros (hahaha), mas a gente precisa fazer concessões se não quiser morrer de fome.

Bom, como a viagem seria para dezembro (férias), enfrentaríamos inverno, luz do dia até 17h30, neve e - olha que chique - o sacrifício de passar nossos aniversários e reveillon lá na zooropa. Viludo demais. Porém, neve e avião não combinam. E optamos por viajar apenas no sul da Europa (menos frio) e de trem (pra evitar vôos), mas, lógico, dar um jeito de ver Paris.

Então chegamos no primeiro roteiro (que, óbvio, sofreu mudanças): Madrid, Barcelona, Paris, Nice/Marseille/Cannes/Mônaco, Roma, Firenze, Veneza, Verona e Milão. Caímos na realidade logo e percebemos que o belíssimo sul da França (Nice/Marseille/Cannes/Mônaco) não cabia no bolso.

E poucos dias depois chegamos no roteiro final e poderíamos começar a pagar as parcelas: Madrid, Toledo, Barcelona, Paris, Roma, Firenze, Veneza, Verona e Milão. A viagem seria só em dezembro, mas a partir de junho já começamos a viajar pelo Google Street View afim de pesquisar o melhor roteiro em cada cidade.

Eis abaixo, cidade por cidade, os pontos onde vamos passar, os principais motivos das escolhas e um breve histórico de cada local ou monumento. 

Madrid: o quê interessa aqui é o estádio do Real Madrid. E um tal Museu do Prado, dizem. :) Vamos visitar outros lugares, lógico. E aproveitar a crise espanhola pra ver se tem umas roupas baratas.

Park Guell viludíssimo
Barcelona: o quê interessa aqui é o Gaudi. Achou que eu falaria do Messi, né? Mas, acredite, a cidade é tão maravilhosa e cheia de belíssimos locais pra conhecer que eu, um lunático por futebol, deixei o Barça de lado e vamos atrás da Casa Milà, Park Guell e Barri Gòtic, além da grande ansiedade para ver a Sagrada Familia.

Paris: aqui o quê interessa é... a cidade em si. Estar em Paris é o quê vale. E aproveitaremos o ensejo pra ver a Torre Eiffel, Museu do Louvre, Arco do Triunfo e outros lugarzin má-ô-meno. Paris é sem noção de tão bonita, dizem. A conferir.

Papa JP em olhar malandrão
Roma: aqui o quê interessa é História. Com H maiúsculo. Roma é o berço da civilização, um museu a céu aberto. E todos aqueles clichês. Coliseu e toda parte antiga deve ser de cair o queixo. E vamos dar uma passadinha no Vaticano e, senão tiver muita fila, entraremos na Capela Sistina.

Firenze: aqui é a terra dos tartarugas ninja. Ou do renascentismo, como preferir. Michelangelo, Donatello, Raphael e Leonardo, entre outros, foram sustentados por uma família rica de Firenze (os Medici, só pra constar), e as principais obras desses artistas estão espalhadas pela cidade.

Veneza: essa cidade parece um filme. Uma infinidade de ilhas e canais de uma beleza inigualável. Como se não bastasse, em Veneza fica a grande homenagem ao maior jogador da história do Palmeiras: a Basílica de São Marcos.

Julieta-ta-ta tá me chamando
Verona: aqui é puro romantismo, pois uma parte da história de Romeu e Julieta (aquela q o SBT refez com a Hebe de Julieta e o Golias de Romeu HAHAHA) se passa em Verona e a vila que é descrita por Shakespeare como moradia da Julieta é conservada até hoje.

Milão: aqui não há muito além da segunda maior igreja da Europa (Duomo) e o original da Ultima Ceia (pintado na parede de uma igrejinha bizarra). Aproveitaremos pra visitar o estádio que o Milan e a Inter dividem antes de vazar pro aeroporto e voltar pro Brasil.

Let's Rock!  Kraftwerk - Trans Europe Express / Suede - Europe Is Our Playground

3 comentários:

juju perrella disse...

nhoi é a primeira de muitas viagens lindas que vamos fazer.. se o mundo não acabar :)

amo amo amo vc em todos os lugares do mundo

:***

Juliana Haas disse...

Já no aguardo da parte II. rs

@line disse...

Uhuuu!! Acompanhando desde já...!