domingo, 27 de maio de 2012

London, day 1: “all the umbrellas in London couldn't stop this rain”

Acordei atrasadaço e com a cabeça pesada depois de tomar todas aos pés da Catedral de Colônia em meu último dia na Alemanha. Corri pro aeroporto de Dusseldorf com medo de perder o avião. Cheguei em Londres depois de um vôo, digamos, conturbado (rsrs), sinais de uma ressaca forte que perdurou nas primeiras horas em território inglês.

Aportei no aeroporto de Gatwich, 50km ao sul de Londres, perto das 10h. Uma fila gigante na imigração, onde fui questionado ferozmente por quase 10 minutos e temi pelo pior, mas consegui passar. Então era preciso pegar um trem para Victoria Station, já no centro de Londres e nas proximidades do Palácio de Buckingham. Peguei minhas malas e me perdi um pouco até encontrar onde comprava o ticket do Gatwich Express. O trajeto é num trem meio high-tech demais e demora uns 20 minutos numa paisagem que varia entre campos encharcados e casinhas Wallace & Gromit

Chegando em Londres tive a impressão de rapidamente ver o Big Ben, mas não posso afirmar com certeza. Desci do trem e finalmente me dei conta de onde o filho do Nino e da Márcia estava: caralho, cheguei em Londres! Dois mil anos de civilização nessa porra! London! Lon-don, cêis tão ligado?!?



Victoria Station
Fiquei uns bons dez minutos olhando pra todos os lados da Victoria Station naquela vibe jacuzão na capitar. Comprei e carreguei um Oyster Card (cartão pro transporte público), comprei um card da Vodafone (internet pro meu google maps!), tomei uma Fanta (bem menos laranja que a brasileira) e comi um McDonalds qualquer. E só então decidi sair pra enfrentar a cidade e tentar encontrar o ponto de ônibus que me levaria pra próximo do hostel. Que cidade linda, meuzamigo. Impressionante. Na porta da Victoria Station já vi o teatro do Billy Elliot (foto aqui) hahaha. E obviamente demorei pra encontrar o ponto de embarque olhando tudo e todos, mas o busão de dois andares estava me esperando. Entrei e subi pra primeira poltrona do segundo andar, pra ver Londres de camarote.


All Souls Church
Meus mapas estavam certos e quando o ônibus C2 passou pelo monumento All Souls Church eu sabia que estava chegando no hostel. Então o busão saiu da Portland St e desci no ponto seguinte para ir ao YHA London Central.

Aqui cabe uma nota: Obrigado, Bala! A dica do meu grande amigo foi realmente sensacional. O hostel é barato, seguro, extremamente amigável e super bem localizado (perto dos pontos turísticos e dos botecos!). Fica a dica pra quem pretende viajar gastando pouco.

Continuando, rasguei meu inglês na recepção até descobrir que a moça era uruguaia e falava português. Daê eu tava em casa. Fiz umas piadas e fui pro quarto deixar as malas e tomar banho. Nesse ponto, meu cronograma já estava mais ou menos três horas atrasado. Uma beleza. Pra ajudar, demorei pra entender como esquentava a água do chuveiro. Bom, de banho tomado, era hora de explorar a cidade.


Turista? Sim ou com certeza?
Vazei em direção à Piccadily Circus, Trafalgar Square e à National Gallery. Aluguei uma bike pública por 1 libra e desci a Portland St no meio dos carros naquele trânsito invertido. E os motoristas - pasmem - respeitam os ciclistas! Cabe dizer que os ciclistas – pasmem – também respeitam as leis de trânsito! Passei pelo All Souls Church e a avenida se transformou em Regent St (mapas certos, uhu!). Antes de chegar na Trafalgar Square, começou a garoar e coloquei a bicicleta na estação perto da Piccadilly Circus praa comprar uma capa e chuva e então dei os primeiros passos realmente turísticos. Com a chuva, o vento e o frio aumentaram bastante. E eu com ressaca ainda. Comprei uma capa de chuva ri-dí-cu-la e as pessoas ficavam rindo desse turistão que vos fala. Descobri que estava na direção errada após caminhar três quarteirões e a garoa, pra ajudar, virou chuva forte. Aí, na mais pura sorte, encontrei o Café Brazil. Comprei uma Guaraná Antarctica, recarreguei as energias, a chuva parou e perguntei pra que lado era a porra da Trafalgar Square.

No caminho entrei na National Portrait Gallery achando que era a National Gallery. Perdi uns 20 minutos. Saí de lá meio puto e finalmente achei a bendita Trafalgar Square. Véi, que bonito. Tirei um bilhão de fotos. Na ponta da praça, de frente pro monumento ao Almirante Nelson com a National Gallery de fundo, viro pra esquerda e vejo um portal fudidaço, lindo pra caraleo, chamado Admiralty Arch que, reparando bem, era o início do The Mall, e lá no fundo dava pra ver o Palácio de Buckingham. Que cidade linda! As pessoas ali pareciam não ter noção do privilégio de viver diante de tanta história. Virando mais um pouco pra esquerda, de costas pra Trafalgar Square, pra completar a embasbaquez, lá estava ele, impetuoso, o Big Ben! Sério, muito, muito legal. Pensei em entrar na National Gallery mas queria o audioguide em português pra entender melhor as obras, e naquela quinta-feira não estava disponível por algum motivo que não dei conta de entender hahaha então deixei pra ver noutro dia.



O Big Ben à esquerda, o Admiralty Arch e a Trafalgar Square com a National Gallery ao fundo.
Já estava ficando tarde, meu cronograma do primeiro dia já estava totalmente impossível de cumprir e não sabia o quê fazer. Aí resolvi atravessar o Admiralty Arch pra ver qualé. Fiquei com preguiça de caminhar até o Palácio de Buckingham (na verdade foi a força da ressaca e a vontade de ver logo o Big Ben) e virei à esquerda pra ver onde é realizada a Horse Guards Parade – a troca da guarda da rainha (não vi a troca, só vi onde é haha). Desci ladeando o belíssimo St James Park e cheguei perto de uns esquilos hahah até finalmente dar de cara com o Big Ben e todo o Palácio de Westminster. Tirei um quadrilhão de fotos imaginando a exploração praquilo ser construído hehe. Algumas partes da rua defronte ao Parlamento estavam fechadas e fui perguntar pro guarda o porquê. E a rainha - aquela da música do Sex Pistols! - tinha estado lá há poucas horas!!! Porra, nem pra véia me avisar. Então andei na frente de todo o palácio. Arquitetura absurda. E depois fui ver de perto a Abadia de Westminster - que fica do outro lado da rua -, onde casaram-se Willian e Kate e, mais legal ainda, onde estão enterrados Willian Shakespeare, Issac Newton e Charles Darwin (uia!). Cheguei lá bem no horário de saída da Evensong, uma missa com o coral da igreja. Estiquei o pescoço e consegui ver um pouco da parte de dentro. E eis que, de repente, 18h - o Big Ben badalou pra eu escutar. De arrepiar. Muita coisa passou pela minha cabeça. Um momento tão simples e com vários significados.


Westminster Abbey

Já estava na hora de começar o caminho de volta pro hotel e o frio apertava ainda mais. Caminhei às margens do Tâmisa um pouquinho, vi a London Eye e peregrinei em direção à Oxford Street, a rua das compras. Me perdi bonito enquanto olhava pros prédios, pras pessoas, pros Porsches, pra tudo. Meu chip da Vodafone e o Google Maps me ajudaram demais. Consegui achar a Oxford St e entrei numas duzentas lojas. Fui de uma ponta à outra. Olhei discos, calçados, roupas e comprei umas bugigangas. Já perto das 20h, num frio de rachar, depois de tomar chuva, vento, com os pés destruídos após quilômetros andando de allstarzinho, avistei uma Pizza Hut. Era no subsolo, bizarro. Desci uns quatro lances de escada até o restaurante. Grande e lotadaço. Comi descalço com um pé massageando o outro. Hahaha. Peguei um busão e voltei pro hotel afim de um banho. A night em Camden Town me aguardava.

No hostel perguntei sobre uma balada róque em Candem Town que o Jonas tinha me indicado. Uma festa estranha com gente esquisita no Proud Camden. Tomei um banho e coloquei o celular pra carregar enquanto descansava os pés. Conversei um pouco com o brasileiro (!) e dois senhores ingleses que estavam no mesmo quarto. E o cansaço bateu forte, o sono veio violento e não tive forças pra cair na náite. Uma lástima, praticamente um crime. Realmente não dava. Pelo menos eu estaria descansado pro segundo dia.


Olha o Big Ben escondido atrás da árvore.
 Let's Rock!  Sex Pistols - Never Mind The Bollocks (o álbum inteiro)

Um comentário:

juju disse...

quero saber q horas vc lembro de mim nessa viagem ??? <3