sexta-feira, 29 de abril de 2011

A primeira grande viagem a gente nunca esquece...

"o mar quando quebra na praia... é bonito, é bonito..."

"trezentas e sessenta e cinco igrejas... a bahia tem..."

"o pescador tem dois amor...um bem na terra, um bem no mar...
o bem de terra é aquela que fica... na beira da praia quando a gente sai"


Let's Rock! >>> Dorival Caymmi (discografia) / Daniela Mercury - Quero Voltar Pra Bahia / Caetano Veloso - Quando Eu Penso Na Bahia / Gal Costa - Bahia, Minha Preta / Maria Bethânia - A Bahia Te Espera / Elza Soares - Bahia De Todos Os Deuses

segunda-feira, 4 de abril de 2011

Trilhas sonoras de amor perdidas

Então, fomos assistir "Trilha Sonoras de Amor Perdidas", no Festival de Teatro de Curitiba. Nunca fui um grande fã de teatro, gosto mesmo é de música e cinema, mas convenhamos que é importante prestigiar eventos culturais desse náipe - ainda mais quando há uma peça pra quem é aficcionado por música, sobretudo por rock.

but i'm a creep. i'm a weirdo... (weirdo ou wedded?)

O mote é excelente, os atores são ótimos (Guilherme Weber, foda!) e eu tinha certeza que iria gostar. Baseado em textos de Jim O'Rourke e Lou Reed, entre outros, a peça transborda citações que eu e meus amigos conversamos nos bares da vida. Transborda mesmo, num punhado de referências que soa até meio forçado, como se quisesse satisfazer a necessidade de identificação (ao menos num ponto que seja) de cada um dos 700 ali no teatro.

E narrar situações pra citar tantos discos, artistas e canções, era preciso tempo, muito tempo. E as quatro horas de duração da peça maltratam o espectador e, talvez, a própria peça. É difícil aguentar quatro horas! Entramos no teatro às 20h45 e saímos às 00h45... sentados ouvindo (sobre) música boa sem tomar cerveja, sem poder falar alto, sem poder dançar.

Primal Scream (Screamadelica), Wilco, Neil Young, Bob Dylan (Blood on the Tracks), Tom Waits (o lado do Closing Time, até Martha), Big Star (Thirteen), Love, Cure, Smiths, Rolling Stones, Nirvana, Stone Roses, Jesus & Mary Chain, Pixies, Replacements, Spiritualized (Soul On Fire, Ladies & Gentleman...), Strokes, LCD Soundsystem, Radiohead... (já tá bom, né... mas tem mais um monte) - sem contar alusões a Curitiba e São Paulo.

Tanto tempo que na última hora do espetáculo, cada vez q a luz apagava eu torcia pra ser o fim. E lamentava a continuação... uma pena, porque gostei bastante enquanto minha bunda não amassou na poltrona, mas no final eu rezava pra acabar logo. E até por ser muito longa, a peça expõe o talento de Guilherme Weber - se eu pedia água, imagine o ator após horas de árduo trabalho de interpretação...

Enfim, teatro pra quem gosta pra caraleo de música. E, pela duração, pra quem gosta pra caraleo de teatro. Eu gosto de pra caraleo de música mas nem tanto de teatro...

Let's Rock! >>> The Pretenders - Don't Get Me Wrong