sexta-feira, 16 de dezembro de 2011

Urânia Waltz

Como fizemos durante grande parte da minha adolescência, acabou a novela e zapeamos os canais a procura de um filme pra ver antes de dormir. Nada na Sky, a alternativa foi "Inverno da Alma", no pendrive. Então play. Logo nas cenas iniciais, o refrão de "Missouri Waltz", na voz de Mariseth Disco. Meu pai soltou um "nossa, olha que bonito". E voltamos pro começo do filme algumas vezes pra ouvir os versos em inglês e reparar num discreto zunido de grilos ao fundo, quase um barulho de mato, acompanhando a voz da cantora no lugar dos instrumentos, casando perfeitamente com a imagem rural que aparecia na tela, numa amostra do potencial lírico do cinema. E, diante da realidade que nos encontrávamos, a cena tornou-se ainda mais forte, mais lírica, mais emotiva. E os dois marmanjos, negando o medo da doença e a comoção do momento, apenas contemplaram o som em silêncio.

No meu entendimento, o momento transcende a relação pai e filho e pode ser encarado, também, como uma ode à música e às tradições caipiras.

E na minha mania de colocar a cabeça no travesseiro e pensar na vida, vejo as três grandes paixões do meu pai num momento tão delicado e perturbador: a família, a música e a roça.

E meu mundo desaba. Que saudade, Deus. Hoje, quatro meses.

O Cristo em Urânia, por Marcos Pick.

quarta-feira, 16 de novembro de 2011

terça-feira, 8 de novembro de 2011

Fotos

No meu mundo as pessoas deveriam morrer de idade. Ficou muito velho, enfraquecido demais, cansado de tudo, com os abraços de netos e bisnetos, vida completa, com a sabedoria transmitida aos mais novos na totalidade... aí tudo bem, dá pra conceber, aceitar, ficaria bom pra todo mundo.

E eu vejo umas fotos e ainda não acredito. Eu tento, mas não consigo. E o estômago embrulha, a visão turva, o coração acelera, o corpo treme e o mundo desaba.


Let's Rock! >>> Bob Dylan - Blowin' In The Wind
"(...) and how many times must a man look up before he can see the sky? (...)"

sexta-feira, 16 de setembro de 2011

Um mês, Deus.

Um mês.

De resignação, de descrença, de saudade, de uma dor que entorpece. Sem meu ídolo, sem meu espelho, sem meu confidente e conselheiro, sem meu amigo, sem meu pai, sem meu verdadeiro Deus. Um mês de choro contido (às vezes nem tão contido assim), de uma maldita ardência no peito. Um mês de fuga - sem perceber - do silêncio, das reflexões, da realidade e, mesmo assim, em absolutamente todos os dias, de hora em hora, algo remete ao meu pai. Uma frase, um trejeito, uma situação. Impressionante. E a dor lateja, arqueja.

Envelhecer é foda. A gente enfrenta umas provações tão fortes que - nesses dias de infortúnio - até o Deus do mundo eu difamei. E continuo difamando, entre orações, num paradoxo que só o amor permite. Até porquê, dizem, esse Deus perdoa. E até porquê, agora, eu tenho um Deus particular, um Deus verdadeiro que de tudo fez por mim e por minha família. Tenho provas que esse Deus existe, tenho até fotos.

Sou o quê sou por minha família, por esse Deus.


Let's Rock! >>> OAEOZ - Às Vezes Céu/Ausência/Dias Tortos

segunda-feira, 29 de agosto de 2011

Autopsicografia

Minha cabeça está em ebulição. Penso em homenagens, busco momentos, conselhos, conversas, risadas. Choro sozinho, sorrio sozinho. A verdade é que nesses dias, disparado os mais intensos da minha vida, meu pai está nos meus pensamentos em absolutamente todos os instantes. E eu tenho uma vontade absurda de escrever. De pensar em meu pai e apenas nele, sem perder a concentração por um instante. Tentar encontrar as melhores palavras pra entender bem o quê está aqui dentro. Quem escreve há tantos anos deve entender a necessidade de digitar o raciocínio e aprofundar-se na introspecção a ponto de esquecer do mundo por minutos, às vezes por horas, e concentrar-se num silêncio - ora na lembrança, ora no devaneio - capaz de trazer meu pai aqui pra perto. "Prá aliviar minha alma que chora / Só tenho agora minha inspiração". E o quê eu mais quero é sentir meu pai por perto.

Só não escrevo tudo que passa na minha cabeça porquê, primeiro, óbvio, não há léxico no mundo pra traduzir a mente humana e, segundo, porquê meu pai queria apenas silêncio e discrição. E respeitarei isso eternamente.

"Com a saudade no ponto mais alto (...) Refugiei minha grande saudade / Na simplicidade de uma lembrança / Voei nas asas da imaginação / Fui ver meu sertão quando eu era criança. / Os tempos risonhos dos meus lindos sonhos / Cheio de esperança. (...) Daquele tempo feliz que passou / Saudade ficou no meu coração / Prá aliviar minha alma que chora / Só tenho agora minha inspiração / Esta nostalgia dentro da poesia."

(trecho da música "Nostalgia", autoria de José Ferreira de Urânia)

sexta-feira, 1 de julho de 2011

Top 7 grandes duplas da Copa América 2011

Não lembro da última vez que a Copa América atraiu tantos craques. E, para comemorar, nada melhor que lembrar do Top 7 na Copa do Mundo da África e elencar as sete melhores duplas da Copa América.

1. Messi (Barcelona-ESP) e Carlos Tevez (Manchester City), Argentina: Messi é o melhor do mundo disparado. Artilheiro rápido e habilidoso, conduz a bola próxima do pé e é um voraz finalizador. É incrível como se completa ao Tevez, avante forte, bruto, trombador, raçudo. E também habilidoso, rápido e finalizador. O cisne branco e o cisne negro no mesmo time. Ponto fraco da equipe: há tempos os bons valores não conseguem formar uma boa equipe.

2. Neymar (Santos-BRA) e Paulo Henrique Ganso (Santos-BRA), Brasil: A dupla ignorada por Dunga na Copa 2010 por ser jovem demais, hoje é a mais pura realidade. Feras destrutivas, jogadores completos, inspiram confiança nos brasileiros pelos arremates precisos, pelos dribles desconcertantes e, principalmente, pela personalidade. Um mais incisivo e outro mais organizador. Ponto fraco da equipe: às vezes o time se perde na soberba.

3. Luís Suarez (Liverpool-ING) e Edinson Cavani (Napoli-ITA), Uruguai: A grande Copa do Mundo de Suarez rendeu-lhe a camisa 7 do Liverpool. E a vice-artilharia de Cavani no italiano pelo Napoli o faz cortejado por todos os grandes europeus. Finalizadores sem tanta habilidade, mas com um faro de gol absurdo, muita raça e carisma. Mortais dentro da área. Ponto fraco da equipe: Após a Copa do Mundo, Forlán nunca mais jogou bem.

4. Alexis Sanchez (Udinese-ITA) e Jorge Valdivia (Palmeiras-BRA), Chile: El Mago está livre das contusões que o atrapalham pós-Copa do Mundo e pronto para destrinchar habilidade, ousadia e visão de jogo. Basta ter condição física para o chute no vácuo alegrar o amante do futebol. Já Sanchez foi peça fundamental na super arrancada da Udinese no italiano e, se o Barcelona não quer Neymar, é porque já comprou Sanchez. Ponto fraco da equipe: a zaga só tem brucutu.

5. Lucas Barrios (Borussia Dortmund-ALE) e Roque Santa Cruz (Blackburn-ING), Paraguai: Atacante argentino naturalizado paraguaio às véspera da Copa 2010, Lucas Barrios é a referência ao lado do experiente Roque Santa Cruz. Apesar do ótimo nome e início meteórico, Roque Santa Cruz não consegue emplacar jogar bem na seleção e ainda vive de lampejos. Ponto fraco da equipe: Gamarra aposentou.

6. Falcão Garcia (Porto-POR) e Pablo Armero (Udinese-ITA), Colômbia: Centroavante alto, forte e goleador, Falcão Garcia é cobiçado por grandes clubes europeus após a temporada brilhante em Portugal. Pablo Armero, contestado no Palmeiras, é grande arma ofensiva da Udinese na Itália. Ponto fraco da equipe: quando formam bons times, sobra firula e falta futebol.

7. Antonio Valencia (Manchester United-ING) e Felipe Caicedo (Levante-ESP), Equador: Vale citar a emergente equipe equatoriana e Antonio Valencia, titularíssimo na ponta direita do Manchester United, substituindo apenas Cristiano Ronaldo. Já Felipe Caicedo, grande revelação contratada por milhões pelo Manchester City, hoje tenta se estabilizar no futebol europeu no espanhol Levante. Ponto fraco da equipe: o resto do time quase engana, mas é fraco.

Let's Rock! >>> Caetano Veloso - Soy Loco Por Ti, América

domingo, 12 de junho de 2011

Heaven must've programmed you

Oi, Mesquita Imam Ali Ibn Abi Talib. Tô de olho em você.

Ao dar à Mesquita de Curitiba o nome de “Imam Ali ibn Abi Tálib”, a comunidade muçulmana da cidade quis homenagear uma das mais importantes personalidades da história islâmica. O Imam (Guia Espiritual) Ali ibn (filho de) Abi Tálib era primo e genro do Profeta Muhammad (Maomé).

Tirei as infos daqui, mas tô nem aí pra religião, o quê importa de verdade são as palavras do mestre Yusuf Islam (antigo Cat Stevens): "The moment you walked inside my door, I knew that I need not look no more (...) The moment you fell inside my dreamsI realized all, I had not seen (...) The moment you said "I will", I knew that this love was real (...) Heaven must've programmed you."

Let's Rock! >>> Yusuf Islam - Heaven (Where true love goes)

sexta-feira, 29 de abril de 2011

A primeira grande viagem a gente nunca esquece...

"o mar quando quebra na praia... é bonito, é bonito..."

"trezentas e sessenta e cinco igrejas... a bahia tem..."

"o pescador tem dois amor...um bem na terra, um bem no mar...
o bem de terra é aquela que fica... na beira da praia quando a gente sai"


Let's Rock! >>> Dorival Caymmi (discografia) / Daniela Mercury - Quero Voltar Pra Bahia / Caetano Veloso - Quando Eu Penso Na Bahia / Gal Costa - Bahia, Minha Preta / Maria Bethânia - A Bahia Te Espera / Elza Soares - Bahia De Todos Os Deuses

segunda-feira, 4 de abril de 2011

Trilhas sonoras de amor perdidas

Então, fomos assistir "Trilha Sonoras de Amor Perdidas", no Festival de Teatro de Curitiba. Nunca fui um grande fã de teatro, gosto mesmo é de música e cinema, mas convenhamos que é importante prestigiar eventos culturais desse náipe - ainda mais quando há uma peça pra quem é aficcionado por música, sobretudo por rock.

but i'm a creep. i'm a weirdo... (weirdo ou wedded?)

O mote é excelente, os atores são ótimos (Guilherme Weber, foda!) e eu tinha certeza que iria gostar. Baseado em textos de Jim O'Rourke e Lou Reed, entre outros, a peça transborda citações que eu e meus amigos conversamos nos bares da vida. Transborda mesmo, num punhado de referências que soa até meio forçado, como se quisesse satisfazer a necessidade de identificação (ao menos num ponto que seja) de cada um dos 700 ali no teatro.

E narrar situações pra citar tantos discos, artistas e canções, era preciso tempo, muito tempo. E as quatro horas de duração da peça maltratam o espectador e, talvez, a própria peça. É difícil aguentar quatro horas! Entramos no teatro às 20h45 e saímos às 00h45... sentados ouvindo (sobre) música boa sem tomar cerveja, sem poder falar alto, sem poder dançar.

Primal Scream (Screamadelica), Wilco, Neil Young, Bob Dylan (Blood on the Tracks), Tom Waits (o lado do Closing Time, até Martha), Big Star (Thirteen), Love, Cure, Smiths, Rolling Stones, Nirvana, Stone Roses, Jesus & Mary Chain, Pixies, Replacements, Spiritualized (Soul On Fire, Ladies & Gentleman...), Strokes, LCD Soundsystem, Radiohead... (já tá bom, né... mas tem mais um monte) - sem contar alusões a Curitiba e São Paulo.

Tanto tempo que na última hora do espetáculo, cada vez q a luz apagava eu torcia pra ser o fim. E lamentava a continuação... uma pena, porque gostei bastante enquanto minha bunda não amassou na poltrona, mas no final eu rezava pra acabar logo. E até por ser muito longa, a peça expõe o talento de Guilherme Weber - se eu pedia água, imagine o ator após horas de árduo trabalho de interpretação...

Enfim, teatro pra quem gosta pra caraleo de música. E, pela duração, pra quem gosta pra caraleo de teatro. Eu gosto de pra caraleo de música mas nem tanto de teatro...

Let's Rock! >>> The Pretenders - Don't Get Me Wrong

quarta-feira, 23 de março de 2011

Hoje eu percebi que Deus existe

Chegando do futebol. Suado, fedido, cansado, na bacia das almas. E com fome. Minha mente, apesar do ronco no estômago, quer apenas banho e cama. Lembro que estou sem comida de matar a fome. Não tem nada salgado em casa. Há três dias mato a fome da madrugada com Trakinas de chocolate e apenas não quero vê-las na minha frente. Como de praxe, me enrolei no computador vendo as gatas e não notei a aceleração vertiginosa da fome. De repente, doeu a barriga e, sem pestanejar, fui pro banho.

Sai do banho me sentindo o James Franco na centésima hora preso na pedra. Meu corpo desfalecia e comecei a procurar comida salgada. No fundo do armário, escondido entre os copos, atrás do estoque de catchup, um saquinho roxo meio fino. Peguei pra ver e apenas nunca tinha passado os olhos por algo parecido.

De olho na embalagem, meus olhos brilham e penso "é mantimento". Tá escrito "mandioquinha com salsicha". Que porra é essa?, pensei. Aquela imagem inédita era processada e logo entendi. Era pó de miojo de sopa. Mas quem comprou isso? Mandioquinha com salsicha, se foder, eu nunca compraria esse sabor. Como algo assim foi parar no meu armário? Pq, em outras noites, no desespero da fome, faturei um pacote de Trakinas? Pq, em outras noites, no desespero da fome, tentei dormir pq não tinha comida em casa? Daonde surgiu essa Sopa Knorr pra renovar minha esperança de vida?

Só pode ser Deus.

(vo ve se deus coloco mais)

Let's Rock! >>> Morrissey - Dear God, Please Help Me

terça-feira, 15 de março de 2011

Meu dia de Luis Chevrolet Pereira

Acabo de encontrar o twitter do Luis Pereira, o saudoso Chevrolet, maior zagueiro da história do Palmeiras. Mais um fake na internet ou não, lembrei de um episódio curioso dos tempos que treinava no juvenil do Atlético-PR.

Logo no primeiro treino, o técnico (um ex-jogador do Atlético-PR que infelizmente não lembro o nome) olhou pro zagueiro magrelão de 1,90m e perguntou quais eram minhas características de jogo e em qual zagueiro eu me espelhava. Sem pestanejar, lembrei de Luis Pereira: "Eu jogo duro mas não gosto de dar pontapé. Gosto de sair jogando sem chutão e subir pro ataque às vezes." Lembro perfeitamente da resposta seca: "O Chevrolet, né? Jogou muito."

Dias depois, num jogo treino contra o Tubarão/SC fui o dono da camisa 3 e, no começo da partida, subi com a bola dominada até o meio-campo e lancei pro ponta-direita. Foi bonito. Lógico que, alguns minutos depois, estricnado de empolgação, tentei uma jogada parecida, mas o lançamento foi bizarro. E no começo do segundo tempo fiz umas firulas e avancei, mas perdi a bola e no contra-ataque o adversário quase marcou um gol.

Vi que o nosso técnico gesticulava em minha direção tresloucadamente. Não conseguia ouvir e me aproximei pra saber qual a orientação: "vtnc, marcelo! baralho! vc não é o Luis Pereira, poha!"

Perco o amigo, o técnico, a carreira como jogador, mas não perco a palestrinidade.

Let's Rock! >>> Marcos Kleine - Hino do Palmeiras

segunda-feira, 28 de fevereiro de 2011

20ºC, a temperatura do pode-tudo.

As meninas aguardam ansiosamente os 20ºC do final de outubro para (des)cobrir o corpitcho com os absolutamente encantadores vestidinhos esvoaçantes. E aguardam os mesmos 20ºC do início de março para vestir um cachecol.

Os 20ºC das manhãs de outubro e a delícia do leite gelado. Tão bom quanto o cappuccino quentinho aos 20ºC de março.

É possível escolher entre vinho ou cerveja. Dá pra trabalhar elegante de camisa manga longa, dormir tranqüilo de samba-canção, usar chinelo ou calçado fechado, bermuda ou calça jeans.

Quero 20ºC quando eu não estiver na praia.



Let's Rock! Kaiser Chiefs - Take My Temperature

quarta-feira, 23 de fevereiro de 2011

Fotos Ontem-Hoje

Olha só que belezinha essas fotos de antigamente recriadas nos dias de hoje. Uma homenagem sutil, cortês e bem-humorada ao passado. De uma nobreza ímpar. Coisa linda de se ver.

Curti as duas logo abaixo, nesse link tem mais.


Agora a provocação: quero saber se tenho companhia pra recriar a foto abaixo, entre outras:

Juninho, Fábio e Zélu os altos mais atrás. Elemento X (spoiler do Michel?), Patrícia, Juliana, Meliza, Eu e Beth. Priscila na motinha.

Let's Rock! >>> Titãs - Família / Miguel Roberto & Bob - Nostalgia

terça-feira, 22 de fevereiro de 2011

Rárray do Thom Yorke

No mais novo video clipe da banda inglesa Radiohead, o vocalista Thom Yorke evoca uma popular dança de Urânia e região. Aos aos 1min e 20 segundos de 'Lotus Flower', há um saculejar de ombros ao esticar os braços pra frente e pra trás que qualquer uraniense pode reconhecer.

Talvez para evitar direitos autorais, Thom Yorke prefere manter os dedos esticados ao invés do punho cerrado tão difundido pelos uranienses mundo afora.

A dança é chamada de RÁRRAY, em homenagem ao criador e mito uraniense Silvinho Rárray.

RÁRRAY-RÁRRAY-RÁRRAY

Let's Rock! >>> Radiohead - Lotus Flower (veja o clipe inteiro aqui.)

segunda-feira, 21 de fevereiro de 2011

Garibaldis & Sacis, o pré-carnaval de Curitiba

Curitiba parece disposta a mudar o estereótipo de cidade sem carnaval. Há anos acontece o desfile do Garibaldis & Sacis nos cinco domingos que antecedem o carnaval e, antes sem alarde e com público modesto, atualmente o pré-carnaval curitibano cresceu e costuma reunir quase 20 mil pessoas atrás do trio-elétrico.

Eu, fera, fera e Paulinho.

Ontem fui ver qualé e a atmosfera é realmente contagiante. Nos moldes dos carnavais mais antigos, há gente de todos os tipos como toda boa festa popular deve ser. E o melhor, sem samba-enredo forçado, o povo canta e dança as clássicas marchinhas num frenesi que - não resisti ao clichê - nem parece Curitiba!

Sinto que o curitibano quer se desvencilhar da superficialidade dos novos carnavais, ao estilo Rio-SP, até pq o carnaval daqui, nesses moldes, é absolutamente minguado e vergonhoso. E é perceptível a satisfação do povo ao sambar com o Garibaldis & Sacis, como se estivesse cravado no peito: há Carnaval nas Araucárias!

Serviço: A concentração para o desfile do Garibaldis & Sacis acontece a partir das 15h30 em frente ao Memorial de Curitiba, no Largo da Ordem, setor histórico de Curitiba. Em seguida o cortejo segue até a Praça Garibaldi (onde tem o Cavalo Babão), dá a volta no Relógio das Flores e desce em direção à Igreja de São Francisco. O percurso termina em frente ao Bar Brasileirinho, na altura do Conservatório de MPB.

Juju, eu e Carol dançando com o trio elétrico do Garibaldis & Sacis.
Ao fundo o Palácio Garibaldi.


Garibaldis & Sacis ao lado da Igreja de São Francisco.

Let's Rock! >>> Garibaldis & Sacis - Bandeira Branca

quarta-feira, 16 de fevereiro de 2011

Ronaldo 9

E o Fenômeno aposentou. Demorou, deveria ter encerrado após a Copa 2006. De lá pra cá virou chacota por conta do peso - exceção para raros momentos -, o quê a história absolutamente brilhante de gols e bom futebol não merecia.

Curiosamente, fã de futebol que sou, não guardo lembranças da passagem de Ronaldo pela Internazionale de Milão, onde jogou entre 1997-2002. Porém, lembro muito bem dos jogos na Espanha, tanto a temporada mágica no Barcelona (47 gols em 49 partidas) como os cinco anos no Real Madrid.

Ronaldo é o melhor camisa 9 de todos os tempos? Pra mim, fica atrás do Evair.


top 10 gols pela Inter de Milão

Let's Rock! >>> Marcelo D2 - Sou Ronaldo

segunda-feira, 14 de fevereiro de 2011

Oscar 2011

Pensando em repetir 2007, quando 'Little Miss Sunshine' teve quatro indicações e assistimos mais de dez filmes, pretendo assistir a todos os filmes possíveis nesse período pré-Oscar só pra saber pra quem torcer no dia da premiação.

E, seguindo o bom senso, a ordem é tentar assistir aos que disputam melhor filme, diretor, roteiro original/adaptado, filme estrangeiro e ator/atriz. Olha só a relação abaixo, por ordem de preferência:

"Toy Story 3" [visto] / "Cisne Negro" (Black Swan) [visto] / "A Origem" (Inception) [visto] / "A Rede Social" (The Social Network) [visto] / "Biutiful" [visto] / "O Vencedor" (The Fighter) [visto] / "Lixo Extraordinário" / "O Discurso do Rei" (The King's Speech) / "Bravura Indômita" (True Grit) / "Minhas Mães e Meu Pai" (The Kids Are Alright) / "127 Horas" (127 Hours) / "Another Year" / "Fora-da-Lei" (Hors-la-loi) / "Dente Canino" (Kynodontas) / "Incendies" / "Em um Mundo Melhor" (Hævnen)

Let's Rock! >>> Legião Urbana - Vamos Fazer um Filme

sábado, 22 de janeiro de 2011

Melhores de 2010 no Scream & Yell

E o Scream & Yell, site paulistano de cultura, reuniu 95 cabeças pop pra eleger os melhores de 2010 em diversas categorias (melhor show, melhor disco...). Confira o resultado final do TOP SEVEN 2010 S&Y clicando aqui. Meus votos estão aqui. E copiei alguns logo abaixo.


MELHOR DISCO NACIONAL
“Rua Caetés”, Suéteres
“Pressuposto EP”, Nevilton
“Amigo do Tempo”, Mombojó
“Sabonetes”, Sabonetes
“Bird and Whale EP”, Rosie & Me

MELHOR DISCO INTERNACIONAL
“Wake Up The Nation”, Paul Weller
“Streets Of Our Time”, Danny And The Champions Of The World
“Brothers”, The Black Keys
“Hawk”, Isobel Campbell & Mark Lanegan
“You Are Not Alone”, Mavis Staples

MELHOR MÚSICA NACIONAL
“Eu Já Vi Pior”, Suéteres
“O Morno”, Nevilton
“Hotel”, Sabonetes
“Bonfires”, Rosie & Me
“Às Vezes”, Tulipa Ruiz

MELHOR MÚSICA INTERNACIONAL
“No Tears To Cry”, Paul Weller
“You Are Not Alone”, Mavis Staples
“Tighten Up”, The Black Keys
“Ain’t Not Good Enough”, Bruce Springsteen
“Heaven Can Wait”, Charlotte Gainsbourg & Beck

MELHOR SHOW NACIONAL
Charme Chulo
Suéteres
Otto
Nevilton
Banda Gentileza

MELHOR SHOW INTERNACIONAL
Paul McCartney

MELHOR FILME INTERNACIONAL
A Origem
Toy Story 3
O Segredo Dos Seus Olhos
Amor Sem Escalas
Machete

MELHOR LIVRO
“Éden”, Kioskerman
“Batu”, Tute

Let's Rock! >>> Marcelo Jeneci - Felicidade