sexta-feira, 27 de novembro de 2009

Certa Manhã Acordei de Sonhos Intranquilos

Otto estava há seis anos sem lançar um disco de estúdio. E nesse tempo rompeu com a gravadora, enfrentou a doença da mãe, levou um pé-na-bunda da esposa e enfiou o pé na jaca. O inferno astral catalisou energias e culminou num PUTA DISCAÇO.

As letras de Certa Manhã Acordei de Sonhos Intranquilos, rasgadamente reminiscências do finado casamento, são viris e diretas enquanto o vocal externa o quão dilacerante foi/é a dor do divórcio.

E nada adiantaria o lirismo exacerbado se o instrumental fosse uma merda. Mas, finalmente, Otto desistiu de reinventar o samba. Os arranjos ainda exalam brasilidade, porém, sem os excessos eletrônicos de outrora, fazem da influência rock e mpb o meio para misturar ritmos e manter as características que impulsionaram a carreira do pernambucano.

O disco foi lançado nos EUA, ganhou destaque no New Youk Times ('a kind of Moby from the backlands'), tem o título inspirado em Franz Kafka e conta com participações de Lirinha (Cordel do Fogo Encantado), Céu e da mexicana Julieta Venegas. Em 10 músicas, oito são autorais e duas são versões - Lágrimas Negras (J. Mautner e N. Jacobina) e Naquela Mesa (S. Bittencourt).

Triste, sincero e visceral, Certa Manhã... é o renascimento (artístico e pessoal) de Otto.

Ouço há dois dias, incessantemente. Tô curtindo para caraleo. E Recomendo.

Let's Rock! >>> Otto - Crua

segunda-feira, 23 de novembro de 2009

11 jogadores fora da Copa do Mundo

Após a definição dos 32 países classificados para a Copa do Mundo da África do Sul, lamentei a ausência de alguns craques que acompanharão aos jogos pelo lado de fora das quatro linhas.

Na sequência, fui obrigado a formar uma seleção. Num 4-3-3 clássico, como manda a cartilha do futebol arte, eis meu time de craques sem chances de disputar a Copa:
1 Petr Cech (Chelsea/Rep. Tcheca)/Shay Given (Manchester City/Irlanda)

2 John O'Shea (Manchester United/Irlanda)
3 Phillippe Senderos
(Arsenal/Suiça)
4 John Arne Riise (Roma/Noruega)6 Marek Jankulovski (Milan/Rep. Tcheca)

5 Mahamadou Diarra (Real Madrid/Mali)
8 Seydou Keita (Barcelona/Mali)
10 Andrey Arshavin (Arsenal/Rússia)

7 Frédéric Kanoute (Sevilla/Mali)
9 Zlatan Ibrahimovic (Barcelona/Suécia)
11 Emmanuel Adebayor (Manchester City/Togo)

Há ainda alguns bons jogadores de países fora da Copa, como Eduardo da Silva (Arsenal/Croácia) e
Roman Pavlyuchenko (Tottenham/Rússia), ótimos avantes.

Uma pena não ver esses jogadores em ação na África do Sul.

Let's Rock! >>> Doves - There Goes The Fear

quarta-feira, 18 de novembro de 2009

TOP 20 'meus' melhores discos internacionais 2000-2009 (11º ao 20º)

Amigo, gosto pra caraleo de rankear tudo e todos. E em 2009 tudo é ainda mais especial e intenso, pois surgem as LISTAS DE MELHORES DA DÉCADA.

Sofri para concluir o TOP10 dos melhores discos nacionais e internacionais de 2000 até 2009 a convite do site paulistano Scream & Yell, que publicará o resultado da seleção com convidados no começo de dezembro.

E sofri mais ainda por deixar discos magistrais fora do TOP10. Surgiu, então, a necessidade de um TOP20 de discos internacionais (quase fiz um top25). Após a publicação no Scream & Yell, coloco meu TOP10 por aqui também.

20º "The Forgotten Arm", Aimee Mann (2005)

As músicas são como crônicas de um relacionamento, cada faixa conta um pouco da história de um casal cujo homem é um boxeador, retratado na belíssima capa do álbum. O disco tem um jeito country, mas na essência são baladas roqueiras simples numa voz espetacular. Baixei o disco pouco antes de fazer meu cadastro no last.fm, e Aimee Mann logo apareceria no topo dos mais ouvidos.

19º "Get Ready", New Order (2001)

A capa se destaca numa pilha de discos, é facilmente identificada, assim como qualquer introdução com a assinatura do New Order é marcante. Toda faixa tem um instrumental impecável. O som é grande, preenche os espaços. Um dos discos que mais ouço no trânsito, onde a boa música sempre vence as buzinas e freadas. Os tapinhas no volante já viraram dancinhas um tanto vergonhosas.

18º "The Flying Club Cup", Beirut (2007)

É o segundo álbum da turma do Zach Condon. É o disco com "Nantes". Escrevi sobre o disco tomado pela empolgação em janeiro de 2008, quando o ouvi durante todo o verão. Até Vovó Edwiges, vítima de minhas seguidas audições, soltou uma pérola: "Marcelo, esse menino tem a voz mais bonita do mundo, depois do Rufus Uén-uai".

17º "American IV: The Man Comes Around", Johnny Cash (2002)

É o último álbum lançado em vida pela lenda do country americano. É o disco que tem a versão de "Hurt", com um dos vídeoclipes mais bonitos de todos os tempos. O álbum é repleto de covers no vozeirão majestoso de Cash e conta com backings de outros artistas, como Fiona Apple e Nick Cave. Quando assisti ao filme "Johnny & June", ouvi esse álbum incansavelmente por meses e meses.

16º "Nashville", Josh Rouse (2005)

É fácil associar o som ao folk/country, mas as melodias são pop. O disco trata das mudanças de Josh, o casamento que estava uma merda e a Espanha o esperava. O disco reflete a situação. Há uma baladaça meio Smiths que todos devem gostar e outra pura poesia que funde o problema no casamento com a cidade. Eu não entendo pq não fui ao show dele em São Paulo...

15º "Funeral", Arcade Fire (2004)

É um disco sobre morte não melancólico. Apesar de tratar das sucessivas tragédias na família dos membros do grupo, mantém um espírito de renovação. Os arranjos são um show a parte. "Wake Up" é grandiosa e "Crown Of Love" uma balada fodida. Discaço que foge do convencional sem presunção.

14º "Is This It", Strokes (2001)

Foi o EP para promover esse disco que me fez conhecer o napster, o mp3 e mergulhar de vez na música pop. Minha vida mudou completamente. "The Modern Age", caros amigos. Deveria figurar no Top10, é o disco mais influente da década. É a partir desse disco que um segundo requisito para 'escolher' as meninas ganha força: bom gosto musical. A partir de "Is This It", sem conhecer alguns baluartes da música, não rola o telefonema do dia seguinte.

13º "Another Fine Day", Golden Smog (2006)

A banda é formada por membros do Jayhawks, Replacements, Wilco e Big Star. Apenas baixei. A soma de Gary Louris (J-Hawks) com Jeff Tweedy (Wilco) sempre merece minha confiança. O disco tem um pé caipira, mas é rock. Uma mescla forte e aparentemente natural das influências de cada integrante. Deveria estar no top10 (daqui pra frente subtende-se que todos deveriam estar no to10 haha)

12º "Sky Blue Sky", Wilco (2007)

Wilco é Wilco. A melhor banda do mundo (#prontofalei). Nesse disco meu amigo Jeff Tweedy mergulha em sua persona Neil Young e no folk do final dos anos 60 para exorcizar os traumas do fim de seu relacionamento. Disco com o solo de guitarra jazzístico e fabuloso em "Impossible Germany" e com a super balada ao piano "On and On and On".

11º "Pneumonia", Whiskeytown (2001)

Gravado em 1999, mas lançado em 2001 depois de muita confusão entre os integrantes e a gravadora. Saiu do Top10 no frigir dos ovos e eu nem sei o motivo. Acho o disco incrível. Tenho que comprar, inclusive. É caipirão total, com violinos e steel guitars, mas possui cadência pop - uma certa tendência na vindoura carreira solo do Ryan Adams. Pra mim, um clássico.

E aí, discorda em quais discos? Concorda sem tirar nem pôr? Un blog se alimenta de tus comentarios... :)

Em breve, a sequência do TOP20.

Let's Rock! >>> Interpol - Slow Hands / Aimee Mann - I Can't Help You Anymore / New Order - Crystal / Beirut - Nantes / Johnny Cash - Hurt / Arcade Fire - Crown of Love / Strokes - Hard To Explain / Golden Smog - Never Felt Before / Wilco - Impossible Germany / Whiskeytown - Bar Lights

segunda-feira, 16 de novembro de 2009

Cinemão IMAX!

Na última quinta-feira fomos ao segundo cinemão IMAX Theatre instalado no Brasil, aqui no Shopping JacaPalladium, em Curitiba, com tela apenas seis vezes maior que as tradicionais. A outra tela fica em São Paulo, lógico.

O filme, o primeiro assistível desde a inauguração, foi "Os Fantasmas de Scrooge" (A Christmas Carol). Mas isso nem é tão importante. A tela é o maior atrativo, sem dúvida. Fiquei boquiaberto com o tamanho daquela merda. E fui obrigado a tirar um retrato.

meu 1,92m e a tela do cinemão IMAX. \o/ on Twitpic

Mãe, tô no IMAX! (clique na imagem para ampliar)

O mais interessante é que o IMAX Theatre em Curitiba tem capacidade e tecnologia de ponta capaz de transmitir shows, corridas de carros e grandes eventos mundiais ao vivo. Tá ligado Copa do Mundo, né? Tá ligado Fórmula 1? Expectativa. :D

Let's Rock! >>> Andrea Bocelli - God Bless Us Everyone