quinta-feira, 10 de julho de 2008

Trilogia das Sacolas, parte 2: a tangerina

Desde 1904, o Bar Stuart está ali vendendo bagos de boi. Desde não-sei-quando, a sede do HSBC Bamerindus também está ali colocando as criancinhas pra cantar nas janelas. Existe (existia?) um relógio gigante que eu nunca vi, aquele que marca implacável seis horas em ponto. Há um belo e famoso chafariz. É um dos pontos turísticos mais famosos da cidade. Mas eu nunca liguei para a... PRAÇA OSÓRIO.

Porém, há duas semanas, resolvi almoçar na feirinha da Praça Osório com a Bianca e o Fernando antes de comemorarmos os 50 anos da Copa de 1958 para ver o filho do Garrincha.


Saboreamos uns sushis e faturamos o prato mineiro, conglomerado alimentício formado por arroz, pernil, feijão, cheiro-verde (pum do hulk), farofa e mais um pouco de pernil. Bom para caraleo! Engoli uma coca-cola pra dar uma balanceada no estômago e, quando olhei de lado, lá estava ela toda formosa... a carroça de tangerina!


Sou absolutamente fascinado por tangerina, bergamota, mexirica, mimosa, poncã ou qualquer outro nome que sua região dê pras primas da laranja. Quando avistei aquela carroça, decidi que compraria vinte quilos e morreria vomitando gomos alaranjados. E a plaquetinha informava um abusivo preço de R$1,00 por kilo!


Minha mente foi longe. Enlouqueci, estriquinado de desejo. Lembrei da chácara em Urânia, onde passei milhões de horas da minha adolescência empoleirado no pé de tangerina. Descia só pra aliviar a bexiga e subia de novo. E tenho certeza que essa minha experiência na Chácara Sossego foi essencial para meu estômago sobreviver aos 2,5 kg de tangerinas entre sábado e segunda.


Let’s Rock! >>> Dave Matthews - Tangerine

segunda-feira, 7 de julho de 2008

Trilogia das Sacolas, parte 1: o sopão

A tarde desta segunda-feira reservou algo inusitado: vontade de cozinhar. Então fiz alguns telefonemas pra mó de pegar umas dicas rápidas, passei no mercado e entrei no 507 com uma sacola repleta de ingredientes para um SOPÃO.

Pois bem, havia na sacola um pedaço de carne, um montinho de cheiro verde, três batatas pequenas e o sopão knorr. Tudo pensado para atender aos três requisitos básicos da vida de solteiro: gastar pouco, sujar pouca louça e fazer o mínimo de esforço.


Item 1: a sacola
Pendure a sacola num local próximo para colocar os dejetos e jogar fora na manhã seguinte, senão apodrece e fede para caraleo.


Item 2: a carne
Compre o bife mais barato entre os bonitos. Não se preocupe com picanhas, contra-filés e adjacentes. Lembre-se que para boas carnes existem churrascarias e churrascos de família. Compre a barata, desde que bonita. Uns 200 gramas já dá pra enganar.


Item 3: o cheiro-verde
Tempero, bicho. Homem que é homem valoriza um sabor mais aguçado. Na dúvida sobre o quê pode dar um gosto diferente ao seu miojo, leve cheiro-verde. Não tem erro. O cheiro-verde é composto por três coisas verdes picadinhas, uma delas é cebolinha. As outras desconheço.


Item 4: batata
Só pra dar um efeito de sopa da mamãe, vasta, cheia de delícias quentinhas. Comprei três pequenas, pra na hora de descascar não ficar um rodela gigante.


Item 5: sopão
Comprei o Knorr, mas pode ser qualquer um. Isso não é miojo, ein. É sopão. Se ligue em quantas porções faz o saquinho, se for comer sozinho pegue o que faz quatro pratos que será suficiente. Eu prefiro sabor carne.




hummm... saca tudo de cozinha esse rapaz!


Modo de preparo:

Ligue o som nas mais tocadas do seu iTunes. Abra uma cerveja - não há graça numa cozinha sem cerveja. Jogue metade do cheiro-verde logo na panela, senão você vai esquecer. Pique a carne em tirinhas usando a colher e o prato que você vai comer a sopa, coloque na panela e a deixe em fogo baixo. Fique mexendo - com a mesmo colher - até perceber que tá bacana. Não coloque óleo, isso é coisa de mãe. Quando a carne parecer assada e o cheiro-verde meio esquisito, coloque em fogo alto, despeje um litro d'água, o sopão e siga as instruções no verso da embalagem. Enquanto a água do sopão não ferve, descasque as batatas e pique em rodelas finas e jogue na panela. Jogue também o restante do cheiro-verde. Aí fique mexendo até a água borbulhar. Depois disso, coloque em fogo baixo de novo e mexa de vez em quando pra não grudar.


Pronto. Se você confiar nas minhas dicas culinárias, é a hora de comer.


Let’s Rock! >>> The Walkmen - All Hands And The Cook