quarta-feira, 30 de janeiro de 2008

The Jayhawks, a descoberta do ano

De repente, o A.M. passou para o Yankee Hotel Foxtrot que, por sua vez, levou-me aos projetos ligados ao Wilco. Deparei-me então com o Fine Another Day, do combo Golden Smog, que entre seus membros está Gary Louris, integrante do The Jayhawks. Pronto. Quando notei, estava em Minneapolis, Minnesota (EUA) e havia passado uma temporada inteira ouvindo uma das poucas bandas que encararam o grunge. No player, sem parar, Tomorrow The Green Grass, dos fabulosos The Jayhawks.

Defino os J-Hawks como uma mescla de Wilco, Neil Young e Ryan Adams com Harrison, McCartney e Big Star. Uma senhora salada, mas é pra sacar bem qualé o som. É a lapidação do alt-country do Uncle Tupelo, desbastando o punk e deixando o power pop. Pra usar um termo desses que jornalista tanto gosta, arrisco um alt-power-country (haha), se é que você me entende.


O início dos J-Hawks data de 1985. E, como qualquer banda, sofreram pacas até alcançarem certo sucesso comercial. O refresco no bolso veio em 1992 com o Hollywood Town Hall, a opção dos americanos roqueiros que não agüentavam mais o Soundgarden, o Mudhoney, o Nirvana e o Pearl Jam. No final de 1994 a banda retornou ao estúdio com o produtor George Drakoulias para, em fevereiro do próximo ano, sair com o clássico extremo e um dos grandes discos da minha vida, o Tomorrow The Green Grass.


O álbum é uma obra-prima. A harmonia nos vocais dos gênios Mark Olson e Gary Louris é o ponto alto do disco, os tecladinhos e a voz doce dos backings de Karen Grotberg somados à cozinha de Marc Perlman (baixo) e Don Heffington (bateria) completam o time, além de outras participações especiais como Benmont Tench (dos Heartbreakers de Tom Petty) e Nicky Hopkins (entre outros, participou das gravações do Exile On Main Street e do White Album).


É difícil escolher o destaque entre as treze músicas do disco. Bad Time foi a primeira que me conquistou, o chamariz pra ouvir tudo sobre a banda. É o riff mais George Harrison que o ex-beatle não fez. Ouvi dias e dias compulsivamente. Sublime. A próxima música do disco que ouvi no repeat foi Over My Shoulder, começa com violino e logo a guitarra toma conta, calminha, casando perfeitamente com os vocais e bateria. É pra cantar junto. Baladaça.


Blue, I´d Run Away e Miss William´s Guitar abrem o disco. Um dos melhores começos de disco de toda a história – exagerado, eu?. Destaque para o arranjo de cordas em Blue e para a junção violino-bateria no começo de I´d Run Away. Two Hearts, Nothing Left To Borrow e Ten Little Kids são outras pérolas.


Infelizmente, a genialidade de Olson e Louris geraram turbulências internas e Olson saiu da banda durante a turnê do Tomorrow... para lançar-se em carreira solo. Louris continua com os Jayhawks até hoje, porém, sem o mesmo vigor dos tempos da parceria. E Jayhawks sem os dois, pra mim, não é Jayhawks.


Baixe:

Hollywood Town Hall, 1992.

Tomorrow The Green Grass, 1995.

(links extraídos do excelente Wilco, etc.)


Let´s Rock! >>> The Jayhawks (todo o álbum Tomorrow The Green Grass)

7 comentários:

juju disse...

é caipira.. mas é legal

hauhauahaua

;****

Marcelo Urânia disse...

pra ficar mais bonito, eu diria que eles são neocaipiras. :)

caipira é o neil young, eu, meu pai, michel, tio zinho... haha

Ramiro disse...

LET'S ROOOOOOOOCK!
Isso ae hermano rocker!
abs

ramiro disse...

Vamos assistir palestre x coxa no brasileirão...levo a sol...leve a juju...mesmo que fiquemos em lados opostos...hahaha
absss

Marcelo Urânia disse...

certeza q ficaremos em lados opostos! hahaha mas depois do jogo tomamos uma cerveja! \o/ e com vitória do alvi-verde paulista! haha

Anônimo disse...

I found this site using [url=http://google.com]google.com[/url] And i want to thank you for your work. You have done really very good site. Great work, great site! Thank you!

Sorry for offtopic

Anônimo disse...

Very nicce!