quarta-feira, 9 de janeiro de 2008

Histórias de natal

eu estava próximo de completar cinco ou seis primaveras. a ceia de natal era na casa do tio zinho, aquela perto da facip, em jales. a média de idade entre os primos mais jovens beirava os oito anos de idade.

há quase vinte anos atrás (deus, quanto tempo!), as crianças com menos de dez anos ainda acreditavam em papai noel ou, no máximo, ameaçavam reconhecer o tio zé atrás da barba branca postiça.

e
ra quase meia-noite, meninos e meninas alucinados na espera pelos presentes. meus pais e alguns tios, então, foram até o portão de entrada olhar o céu pra avistar o trenó do papai noel e atrair a criançada, afim de despistar enquanto o tio zé vestia a roupa de bom velhinho.

no portão, o tio zinho berrava que o trenó passara por ali, lá, acolá. eu e meus primos, atentos às indicações, não conseguíamos ver. “ali perto das três marias!”, e nada. “agora ele foi pra perto do cruzeiro sul, acho que tá tentando pousar aqui!”. mesmo sem ver trenó algum, vibrávamos com a possibilidade do pouso. na seqüência, meu tio berrou, entusiasmado, que o trenó passava por perto da lua: “tão vendo? tão vendo?”


e eu, na pureza da resposta da criança: "TÔ VENDO! TÔ VENDO!
"

Let´s Rock! >>> Sufjan Stevens -
Put the Lights on the Tree

3 comentários:

Michel disse...

Mas esse menino é tonto mesmo!huauhauha

paty disse...

Eu sabia que o tio Zé não era O Papai Noel, mas eu acreditava em papai noel sim hahahahhahahahhahha
E um dia até acreditei qdo a Meliza disse ter visto o trenó do papai noel voando. ahahahahahahahhaha

Marcelo Urânia disse...

o pior é q eu falei 'tô vendo' achando q tinha visto mesmo. ou eu vi, né. vai saber... hahaha