quinta-feira, 25 de outubro de 2007

Agridoce

Um homem perdera o amor pela vida ao presenciar o ápice de uma festa. O prédio no centro da cidade gerou luz, tamanha graciosidade no instante. E este rapaz somente saíra do quarto duas vezes na vida após o ocorrido.

A vergonha de reconhecer sua própria impotência corrói sua mente e perturba seu sono, além de provocar mudanças profundas de comportamento. O homem nunca comentara a visão que causou sua reclusão.

O único amigo, e agora também psicólogo, incentivava o homem moço a livrar-se do cárcere privado e a enfrentar as novas nuances do cotidiano.

Após longas conversas, enfim, o homem decidiu ceder à pressão e ultrapassou a porta de casa. Há anos não sentia o sol e caminhava pela rua.

Logo, os passos pelo pequeno bairro forçaram-no à avistar a mulher que trazia sentido à sua vida. Desfaleceu, sucumbiu à emoção, não suportou além de um breve suspiro.

A inspiração causou-lhe a morte. A motivação causou-lhe a morte. Tudo que havia de belo na vida deste homem causou sua própria morte.

Até hoje, somente amigo e amada sabem a verdade sobre os reais motivos do auto-encarceramento. E estão casados, morando em Notting Hill.

(texto originalmente publicado no estranho caminho)

Let's Rock! Terminal Guadalupe - Entre a Vontade de Fugir e o Medo de Ficar

quarta-feira, 24 de outubro de 2007

Persuasão Íntima

Ontem a capital social amanheceu chuvosa e fria, nem tão normal para meados de Outubro. Atento aos acordes de Sufjan Stevens, notei pessoas caminhando apressadas, esquivando-se de poças d´água e se fodendo com a brisa de 12ºC na orelha.

Lembrei dos anos sem minha máquina do amor, sem meu flecha de prata, sem meu querido Fiestinha roncador em Curitiba, quando usava esse frio filho da puta como um dos pilares da minha motivação. Eu odiava de tal maneira sentir o vento gelado trincar meu rosto que estudava e trabalhava para um dia acordar sem encará-lo de frente.

Acordei da viagem ao passado recente quando o shuffle passou da tranqüilidade do Sufjan para o grito de HEY, na dançante And She Was, do Talking Heads. E agradeci por ter novos desejos e a ciência de que, para realizá-los, basta esforço.

Let's Rock! >>> Tom Waits - Make It Rain