quinta-feira, 18 de janeiro de 2007

a arte de fatiar limões

todo churrasco deve ter farinha de rosca, arroz, pãozinho, uma salada básica e, lógico, carne. isso só pra ficar nas comidas. mas se faltar limão, fica uma sensação de quero mais. sabe como é, espremer o limãozinho sobre a carne. hummm... diliça! a carne de porco, por exemplo, não alcança a plenitude de seu sabor sem um limão por perto. é fato.

espremer o limão sobre a carne é uma tarefa fácil, desde que o limão não seja fatiado por amebas. é evidente que o limão deve ser cortado APENAS UMA VEZ. ou seja, cortado ao meio (sinônimo de NA METADE) para que forme uma espécie de concha e dirija a saída do suco para uma direção. eu disse, UMA direção.

caso o limão seja cortado em quatro partes (ou até mais), quando for espremido, seu sumo espalhará para os quatro cantos do mundo, pois a concha não existirá. inclusive suas mãos, olhos, calça, camiseta podem ser atingidos e, pasme, até a carne pode sentir umas gotinhas.

desencadeei esse raciocínio quando almocei comigo mesmo ontem. comi sete esfirras de carne no habib´s. são deliciosas, principalmente com um limãozinho por cima. mas o imbecil que cuida da cozinha conseguiu fatiar a fruta em oito partes. e ainda era um limãozinho galego! consequência: o caldo foi até na mesa ao lado, menos nas minhas esfirras.

isto posto, meu nobre, perceba que o limãozinho galego é usado em aperitivos justamente por ser pequeno e não permitir mais do que o corte NA METADE. limãozinho cortado em quatro ou oito partes serve só pra pendurar no canudinho durante cruzeiros pelo caribe.

Let's Rock! R. E. M. - Daysleeper

Nenhum comentário: